Rota do crescimento: vendas na área de TI passam diretamente pelo marketing 

Rota do crescimento: vendas na área de TI passam diretamente pelo marketing 

Uma análise de como as novas metodologias do marketing apoiam na conversão de vendas técnicas e no sucesso das empresas de tecnologia 

Em um ambiente de negócios altamente competitivo e cada vez mais dinâmico, é fundamental que as empresas estabeleçam um planejamento estratégico para sua área comercial, de modo que sejam assertivas na conversão de clientes.  

Nesse cenário, já é possível observar, com maior frequência, um alinhamento entre as equipes comerciais e de marketing nas organizações, dentro de um contexto no qual, claramente, ambas se potencializam. Se pensarmos no caso de empresas de tecnologia, essa união pode ser ainda mais interessante e benéfica em termos de resultados.  

Em uma perspectiva mais geral, apostar nessa integração vem sendo uma prática positiva e bem difundida pelo mercado e se conecta com o crescimento das estratégias de marketing digital no ambiente de negócios. Segundo a pesquisa Maturidade do Marketing Digital e Vendas no Brasil, 94% das companhias se utilizam do marketing digital como uma estratégia de crescimento. E esse movimento não é por acaso: segundo o HubSpot: 93% dos processos de compra começam a partir de uma pesquisa online.  

Mas essa tendência só reforça o fato de que as empresas precisam não apenas se posicionar adequadamente no ambiente virtual e físico, mas também que haja uma comunicação fluida entre os departamentos de marketing e vendas.  

Marketing de conteúdo para soluções complexas 

Via de regra, empresas de tecnologia oferecem soluções B2B – ou seja, para outras empresas –, modelo de negócio que naturalmente demanda um posicionamento diferente em comparação a negócios B2C, voltados diretamente para os consumidores.  

Além disso, estamos falando, normalmente, de serviços cuja venda tem uma jornada mais longa, desafiadora e que pode demandar ações específicas para que os resultados comerciais sejam exitosos.  

Tendo em vista esse cenário, os pilares do inbound marketing – centrados na ideia da atração por meio de conteúdo de qualidade – rapidamente ganharam força no terreno da tecnologia. Outras estratégias de comunicação surgem para complementar essa questão, como é o caso da Assessoria de Imprensa (embora não tenha como foco a venda, atua diretamente na construção da marca e reforça a credibilidade de determinada empresa no mercado). 

Para se ter uma ideia, conforme dados compilados pela Rock Content, 73% das empresas Saas e de tecnologia já se utilizavam de Marketing de Conteúdo em 2018. Ainda, para esse segmento, a adoção dessa prática gerava 13x mais visitas e 5x mais leads.  

Sendo assim, o marketing voltado para conteúdo entrega valor especialmente para negócios que oferecem produtos e serviços de maior complexidade, como é o caso do segmento de tecnologia, e que demandam, portanto, um processo de educação e convencimento por parte do cliente.  

Dessa forma, a entrega assertiva de informações relevantes pode tornar o público mais preparado para o momento da compra.  

Um preparo necessário 

Para que a adoção dessas estratégias seja bem-sucedida em termos comerciais, é necessário, naturalmente, que as empresas se preparem estruturalmente e entendam que eventuais mudanças não acontecem da noite para o dia.  

De uma forma ou de outra, trata-se da evolução e amadurecimento do posicionamento empresarial em um ambiente de negócios que já se apresenta sem fronteiras entre o físico e digital. Isso requer, portanto, um esforço por parte das companhias também no sentido da integração multidisciplinar entre diversos times – vendas, marketing, comunicação, atendimento e as áreas de Customer Success e Customer Experience.  

Por fim, contar com agências especializadas na construção de conteúdos assertivos para apoiar empresas deste setor tão importante é crucial e só tende a ampliar o potencial de conversão das organizações atuantes no segmento de tecnologia. 

Não é surpresa para ninguém que os consumidores, sejam eles pessoas físicas ou jurídicas, estão em constante mudança e impulsionam transformações estruturais no ambiente de consumo brasileiro e global. Nesse cenário, não trabalhar novas metodologias – que, além de reforçar o posicionamento (físico e digital) de empresas, colabora com a simplificação de uma linguagem técnica para o mercado (B2B e B2C) – é um risco que nenhuma companhia deseja correr se almeja ter sucesso no presente e no futuro. 

Camila Thomaz é Diretora Comercial da IDEIACOMM, agência de conteúdo, social media, eventos corporativos e assessoria de imprensa para empresas de Tecnologia, Startups, Tributaristas e área Jurídica.

Compartilhe este conteúdo

Talvez essas publicações também te interessem!

ÚLTIMOS CONTEÚDOS

Categorias

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS